Como Se Libertar Das Suas Próprias Regras?

Você está prestes a aprender uma palavra nova que irá ajudá-lo(a) a ter a capacidade de quebrar as regras que bloqueiam e te restringem na vida.

Por:
Gil Sant'Anna

Você está prestes a aprender uma palavra nova que irá ajudá-lo(a) a ter a capacidade de quebrar as regras que bloqueiam e te restringem na vida.

Você consegue ver algo, se você não tem um nome para tal?

O que eu tenho percebido de acordo com minhas pesquisas é que todo mundo funciona de acordo com certos padrões. Certos padrões que são adotados quando crianças, quando adolescentes que governam suas crenças sobre o mundo. Padrões que nos fazem decidir oque é verdade e o que não é verdade sobre o mundo.

Isso também governa nossos hábitos, nos faz decidir como trabalhar, como amar, como aprender… O problema é: muitos desses padrões que nós adotamos não evoluíram. Veja, há muitos anos atrás, nós seres humanos acreditávamos que o mundo era plano. Então evoluímos e começamos a entender que o mundo é redondo. Depois nós descobrimos que o mundo não é somente redondo, mas faz parte de vários planetas girando em torno do Sol. Nossa compreensão evoluiu.

Da mesma maneira, nossa compreensão de quase todos os aspectos das experiências humanas – por exemplo, educação, saúde e nutrição, envelhecimento, sexo, aprendizado – estão constantemente evoluindo. Mas para a maioria de nós, e para nossos sistema educacional, não evolui tão rápido e acaba ficando fixado em modelos antigos. Como resultado, no mundo você encontra uma grande disparidade entre as pessoas que funcionam no seu máximo em todas essas áreas e a maioria das pessoas que estão operando na mediocridade.

Como quebrar esses padrões?

Primeiro, você precisa enxergar esses padrões. Quando nós os rotulamos e damos um nome, começamos a reconhecê-lo. Os nomes possuem um poder interessante… Existe um debate sobre se algumas culturas antigas conseguiam ver a cor azul. Um dos cientistas que está estudando isso, notou que se buscarmos na literatura chinesa antiga, não há menção da cor azul. Até mesmo na literatura grega, em Ilíada, Homero se refere ao Mar Egeu como “mar da cor de vinho”. Não havia menção à cor azul.

Homer's Sea

Então um cientista quis saber se eles não tinham uma palavra para a cor azul, será que eles não conseguiam ver? Para responder isso, este pesquisador decidiu estudar uma tribo particular em Namíbia, chamada de tribo Himba. Os himba têm muitas palavras para a cor verde, mas nenhuma para a cor azul. Então desenhou o seguinte experimento com a tribo:

  1. Mostraram a tribo a seguinte figura e pediram para que os himba identificasem o quadrado com a cor diferente:
Himba figura
  1. Você consegue identificar? A maioria das pessoas não consegue, então se você conseguiu, parabéns! Para os himba, foi muito fácil identificar rapidamente o quadrado com a cor verde diferente.
  2. Então, mostraram a seguinte figura e pediram para que identificassem o quadrado com a cor diferente:
himba azul
  1. Para você, o quadrado azul é óbvio. Mas os himba não conseguiram identificar o quadrado com a cor diferente. Estava invisível para eles.

A lição aqui é: Certas coisas frequentemente se mantem invisíveis até darmos uma palavra, um nome a elas.

Então vamos dar um nome aos padrões que todos nós operamos. E o nome que eu gosto é RUGRAS. Rugras são RUins reGRAS. São regras que nós adotamos sem uma escolha consciente, mas por imitação ou condicionamento social. Eu vou citar algumas das rugras que eu acredito que vivemos no mundo atualmente. Nós vivemos toda nossas vidas como seres humanos tomando decisões perigosas por causa dessas rugras. Algumas delas são:

  • A educação superior é absolutamente necessária para uma carreira decente;
  • Toda mulher precisa de um homem;
  • O trabalho ideal é de 09 as 17h;
  • Religião é necessária para salvação;
  • A busca por dinheiro é ruim;
  • Nós temos diferentes deveres no mundo dependendo se somos homens ou mulheres;
  • Envelhecimento é parte da vida;
  • Sucesso = trabalho duro;
  • O amor é doloroso;
  • Seja realista em seus objetivos.

Todas elas são rugras, se você quiser que assim sejam. Mas para cada rugra que eu listei, existem várias pesquisas, estudos, cientistas e pensadores que estão mostrando que elas não são necessariamente verdades. Muitas pessoas sofrem muito porque acreditam nisso.

Como mudar essas rugras?

Existe algo lindo sobre os seres humanos. Todos nós nascemos pré-maturos. De acordo com o livro “Sapiens – Yuval Noah”, como os seres humanos evoluiram e nossos cérebros se tornaram maiores e o homem começou a andar ereto, foi se tornando cada vez mais difícil para as mães carregar-nos em seus ventres. Como resultado: Todos nascemos pré-maturos. Um cavalo, um cachorro ou até um elefante já nasce ficando sobre as patas, mas nós humanos, somos completamente indefesos. Ele diz em seu livro:

“Se nós humanos nascemos pré-maturos, nós podemos ser educados e socializados muito mais do que qualquer outro animal…”

Referência

  • Social Sciences – Psychology. Winawer, J; Witthoft, N; C. Frank; Wu, L. Russian blues reveal effects of language on color discrimination. PNAS, 2007, 104 (19) 7780-7785.
  • J Exp Child Psychol. Knowing color terms enhances recognition: further evidence from English and Himba. 2009 Feb;102(2):219-38. doi: 10.1016/j.jecp.2008.06.002. Epub 2008 Aug 8.

Baixe gratuitamente o livro com técnicas de equilíbrio emocional na sua vida universitária.

Gil Sant'Anna

Gil Sant'Anna é professor de Habilidades Socioemocionais no ambiente universitário.  Leciona essa disciplina livre na Universidade Federal do Rio de Janeiro e é pesquisador assistente em Neurociência no Instituto D'Or de Pesquisa e Ensino.
É TED Speaker, instrutor de Mindfulness e Certificado em Treinamento em Compaixão por Stanford University.
Gil ama Aprendizado Emocional e acredita que esse tem a força necessária para mudar a educação do Brasil.

Baixe Gratuitamente o Livro que Ensina Técnicas de Equilíbrio Emocional na Universidade.