Gerencie sua Atenção, Não o seu Tempo

Com tantos estímulos competindo por nossa atenção, qualquer esperança mantê-la ao longo do dia sem que nossos cérebros se sintam ovos fritos baseia-se em ser mais consciente de como você distribui a atenção sobre tarefas específicas. Aqui estão três maneiras de manter seu foco fluindo.

Por:
Gil Sant'Anna
Se existe algum "segredo" para a eficácia, é a concentração.

- Peter Drucker, professor e escritor

"No final do dia, eu sinto que meu cérebro está que nem ovos fritos!", admitiu Marianna, estudante de Enfermagem que eu dava aulas. Ela, como muitos, estava vivendo os efeitos do que significa não priorizar atenção na faculdade. Quando distrações tomam conta, como você consegue o foco para estudar ou fazer um trabalho?

Faça a Atenção ser uma Prioridade

A atenção é o recurso básico ou energia que você tem que investir em sua experiência. Você é o que você cuida. É simples assim.

Vamos olhar para o "Macro" por um instante. Gerenciar a atenção nunca chamou muita a atenção porque, até recentemente, a maioria tinha isso como uma coisa certa - ou básica. A educação tem enfatizado amplamente as habilidades cognitivas (de pensamento) e ignorado por completo as habilidades de ver, atentar e perceber (deixa sozinho elx sentindo isso...). Note o que é cortado da escola assim que o orçamento fica apertado: Artes, esportes e música que são domínios que cultivam percepção, foco e sua relação com performance. Por bem ou por mal, vivemos ainda numa cultura de "Penso, logo existo". Então significa que até o chamado "bem educado" pode ignorar totalmente habilidades de atenção e emocionais.

Uma Nova forma de Pensar sobre o que "Bem Educado" Significa

O filósofo de administração, Peter F. Drucker entendia que daqui para frente, as pessoas verdadeiramente educadas (e eficazes) "terão que treinar percepção e consciência tanto quanto a análise." Em um mundo de mudanças tão abruptas, os estudantes eficazes terão que enxergar claramente muito mais que pensar claramente. O ponto de partida é gerenciar atenção e foco. Muitos estímulos competem pela sua atenção, qualquer esperança de eficácia baseia-se em estar mais consciente de como você a usa sozinha ou com outros.

Essa série de sugestões tem a intenção de criar os pontos de fala para você ter uma conversa com aqueles que estudam e vivem com você sobre como criar prioridades para sua atenção. Quanto mais você faz isso, mais hábil você estará de permanecer verdadeira(o) em seus objetivos acadêmicos, performando no seu melhor e engajar na universidade de uma forma significativa.

Muitos estímulos competem pela sua atenção, qualquer esperança de eficácia baseia-se em estar mais consciente de como você a usa sozinha ou com outros.

1. Gerencie sua Atenção, Não seu Tempo

Muitos estudantes - principalmente quando chegam no fim do período - tendem a achar que saber gerenciar o tempo é a chave para um bom caminho acadêmico. Até mesmo Drucker disse, "O tempo é o recurso mais escasso e mais precioso de uma pessoa". No entanto, eu acredito que essa é uma percepção equivocada.
Quem consegue, de verdade, gerenciar seu tempo? Você consegue fazer o futuro chegar mais rápido ou retornar para o passado? A menos que você tenha poderes sobrenaturais, não. O que as pessoas fazem realmente no fluxo do tempo é gerenciar a atenção.

Por exemplo, Marianna pode separar várias horas do dia para estudar para uma prova, mas se ela passar a maior parte do tempo assistindo Netflix - nada contra - ou olhando o placar do futebol, costumamos dizer que ela administrou mal o seu tempo. Na realidade, a sua atenção é que não foi para onde ele precisava estar. Não se consegue tempo. Nós administramos a nossa atenção.

Uma forma eficaz de treinar atenção é praticar mindfulness. Se você quiser saber mais sobre, se inscreva no Aulão Online aqui (que irá abordar esse tema) aqui.

2. Nomeie suas Prioridades

Isso parece simples, mas eu observei que nós - estudantes - não temos o hábito de nomeá-las com freqüência. Muitas vezes, nós permitimos que o impulso tornar as nossas decisões. Os hábitos são bons enquanto eles estiverem servindo nossas verdadeiras intenções ou necessidades reais de uma situação. Caso contrário, vamos acordar e ir com "o bonde", enquanto perdemos coisas importantes.

Então o primeiro passo - e o mais essencial - é saber quais são suas intenções. Pratique mindfulness e pergunte a você mesma(o): "O que é essencial para eu investir energia neste exato momento?", ou "Este é a melhor forma de eu usar essa energia?". Essas perguntas podem ajudar a clarear o que é essencial. Intenções também te ajudam a dizer "não" para as coisas menos importantes (mas talvez urgentes). Clarear as intenções traz melhores direções para o investimento de sua energia.

Os hábitos são bons enquanto eles estiverem servindo nossas verdadeiras intenções ou necessidades reais de uma situação. Caso contrário, vamos acordar e ir com "o bonde", enquanto perdemos coisas importantes.

Pergunte a você mesma(o) as seguintes perguntas para clarear suas prioridades:

  1. O que você está fazendo para priorizar seu dia e desenvolver um plano de ação para quando você está inevitavelmente ocupada(o)?
  2. O que é "tranquilo" para você dizer "Não"?
  3. Como você vai lidar com interrupções quando elas acontecerem?
  4. Você assume que você DEVE responder a todas as interrupções quando elas acontecem?
  5. Você tem medo de ser julgada(o)/ odiada(o)/  se você não responder um email ou whatsapp?

Eu tenho percebido que os estudantes têm muito mais liberdade de dizer não ou "daqui a pouco" para solicitações do que eles pensam.

Prioridades se aplicam tanto a curto quanto a longo prazo. No momento, isso significa escolher onde a atenção deve focar agora. Terminar o TCC até amanhã ou dar uma olhada no episódio de GoT?

No longo prazo, onde nós focamos nossa atenção é central para um senso de significado e propósito. Será que a diversão de Marianna em estar sempre whatsapp e não terminar seu TCC um sinal de que ela está chateada com a pressão do fim do curso? Existe alguma a mais que ela poderia fazer?

No longo prazo, onde nós focamos nossa atenção é central para um senso de significado e propósito. 

3. Crie "Checkpoints" de Atenção

Saber onde sua atenção deveria estar não vai te ajudar se você não consegue se manter com ela. Muitas pessoas dizem que as distrações que estragam tudo, que para ter foco devemos aprender a nos livrar das distrações. Novamente, acho essa uma visão equivocada. Como controlamos distrações? Você já conseguiu? Eu nunca consegui.

A nossa mente sempre vai se distrair, é o funcionamento normal dela (para saber mais, procure por Default Mode Network). No entanto, quando não trabalhamos nossa consciência, nos deixamos levar por cada distração e não conseguimos retornar para o que estávamos focando.

Nesse ponto, a prática tem me ensinado muito sobre como trabalhar com distrações. Ao invés de lutar contra elas e tentar com todas as forças, não se distrair, aceite as distrações como um processo natural. Não se culpe se em um dia você se distrai mais frequentemente que outro. Simplesmente perceba quando você se distrai, agradeça por ter se distraído e gentilmente retorne para o que estava focando. Você pode fazer isso quantas vezes for necessário.  Assim, sua mente aprenderá cada vez mais como deslocar a atenção das distrações e retorná-la - com resiliência e gentileza - para seu foco.

Afinal, se não podemos contra ela, aceitemos e nos juntemos a ela.

Baixe gratuitamente o livro com técnicas de equilíbrio emocional na sua vida universitária.

Gil Sant'Anna

Gil Sant'Anna é professor de Habilidades Socioemocionais no ambiente universitário.  Leciona essa disciplina livre na Universidade Federal do Rio de Janeiro e é pesquisador assistente em Neurociência no Instituto D'Or de Pesquisa e Ensino.
É TED Speaker, instrutor de Mindfulness e Certificado em Treinamento em Compaixão por Stanford University.
Gil ama Aprendizado Emocional e acredita que esse tem a força necessária para mudar a educação do Brasil.

Baixe Gratuitamente o Livro que Ensina Técnicas de Equilíbrio Emocional na Universidade.